Entre tantos modelos de trabalho, um dos que se destacam nos últimos anos é o de freelancer (ou trabalhador independente, em tradução livre). Esse trabalho funciona por prestação de serviços sob demanda e as oportunidades são cada vez maiores. Com isso, surge a questão: como trabalhar de freelancer?

Isso significa que o profissional freelancer pode oferecer seus serviços a pessoas físicas ou jurídicas, sem vínculo empregatício ou com jornada de trabalho. 

Esse modelo pode ter pontos bem positivos para quem está começando na carreira, precisa de dinheiro extra ou simplesmente prefere trabalhar de forma autônoma. 

Se você ainda tem dúvidas sobre como funciona o trabalho freelance, continue lendo este artigo que te explicamos o que é, como funciona e onde você pode encontrar oportunidades. 

O que é freelancer?

O profissional freelancer trabalha de forma autônoma, ou seja, sem ter um superior direto ou qualquer vínculo empregatício com as pessoas a quem ele presta seus serviços. 

Essa prestação de serviços é precisamente por demanda, geralmente para atendimento de um projeto específico ou para cobrir uma necessidade pontual. 

O freelancer pode oferecer seus serviços tanto a pessoas físicas quanto jurídicas. Em todo caso, é sempre bom ter um contrato que registre qual será a demanda, meios de contato e quanto o profissional irá receber pelo trabalho.

Como funciona o trabalho freelancer?

O trabalho autônomo é regulamentado e reconhecido, podendo até contribuir para o INSS. Para ser freelancer, não é necessário abrir MEI ou ser incluso no Simples Nacional, mas muitas empresas dão preferência a contratar profissionais que têm CNPJ, para emissão de notas fiscais.

A rotina do trabalho de freelancer também é diferente. Por via de regra, o profissional é responsável por definir seus horários de trabalho, como cumprir os prazos de entrega e também qual será o seu local de trabalho.

É importante lembrar que o trabalhador freelancer, quando contratado nesse modelo, não pode atender a exigências que configurem vínculo empregatício. Ou seja, determinação de horário de trabalho ou ponto a bater, presença de um superior hierárquico, pessoalidade (quando outro não pode trabalhar por você) e outras questões enquadram a “pejotização” do trabalho, o que é ilegal pelas normas trabalhistas. 

Como trabalhar de freelancer?

O trabalho freelance é por demanda, então para encontrar clientes, o profissional pode utilizar diferentes estratégias.

Essa captação de clientes, na maioria das vezes, vem por indicação ou por networking, a famosa rede de contatos. Ao participar de grupos específicos para freelancers de um segmento, por exemplo, você poderá encontrar outros profissionais e também clientes que buscam por profissionais da área.

Outra possibilidade também é utilizar sites onde você pode criar um anúncio com o que você oferece, ou também pode atender a anúncios de clientes que buscam por um serviço específico. 

Quais as áreas com maior demanda para freelancers?

Nem todas as profissões possibilitam esse trabalho por demanda, com data para finalizar o contrato. Porém, muitos serviços que utilizamos no dia a dia já são categorias de trabalho autônomo, como quando contratamos um prestador de serviços gerais para um pequeno reparo. 

Em via de regra, esse profissional trabalha sozinho e oferece seus serviços de forma pontual. Atualmente, as áreas com maior concentração de profissionais freelancers são:

  • Social Media (quem trabalha com redes sociais);
  • Redator;
  • Jornalista;
  • Fotógrafo;
  • Ilustradores
  • Designer Gráfico;
  • Designer de Interiores;
  • Arquitetos;
  • Desenvolvedores de software;
  • Contadores;
  • Tradutores;
  • Trabalhos Aartesanais
  • Babá
  • Manicure
  • Editores de Vídeo.

Uma curiosidade que podemos identificar é que com o crescimento do marketing digital entre as empresas e no e-commerce, cresceu também a demanda por profissionais de comunicação, o que justifica tantas categorias dentro de um único segmento. 

9 Sites para trabalhar como freelancer

Os sites para contratação de freelancers podem ser uma boa opção para quem quer começar, mas ainda não sabe como prospectar clientes. 

Além de ser uma opção mais segura, com o pagamento geralmente mediado pela plataforma, também é mais fácil escolher quais projetos você tem interesse em trabalhar. 

Listamos abaixo os principais sites de freelance, alguns que atendem a diversos profissionais, e outros segmentados por área. Descubra a seguir quais podem ser boas opções para o seu trabalho:

  • 99Freelas: embora seja muito utilizado por profissionais de comunicação, o site oferece espaço para diversas profissões, com cadastro e anúncios gratuitos. Porém, a plataforma cobra uma taxa na realização do pagamento;
  • Getninjas: este site é outra boa opção para diversas profissões, já que media a contratação de profissionais de todos os tipos. Basta manter seu perfil atualizado e responder aos anúncios encaminhados ao seu perfil;
  • Trampos.co: plataforma que auxilia profissionais de comunicação e desenvolvimento a encontrar oportunidades, tanto freelance quanto trabalho em tempo integral;
  • Workana: outra opção para profissionais de comunicação e desenvolvimento de software, o site também funciona com anúncios de clientes e a oportunidade de enviar um orçamento como proposta. O pagamento é feito pela plataforma e apenas uma taxa de serviço é cobrada a cada transação;
  • Freelancer.com: um dos mais conhecidos para quem trabalha com redação, é uma boa opção para quem escreve em mais de um idioma, já que o inglês é o mais requisitado. Para conseguir o trabalho, basta fazer uma oferta ao anunciante;
  • UpWork: mais uma opção de plataforma global, o site também funciona como mediador entre clientes e freelancers, com o pagamento após a entrega do projeto. A plataforma ainda está integralmente em inglês e oferece oportunidades para diferentes segmentos;
  • Contentools: para trabalhar com essa plataforma, é preciso ter MEI ou outra categoria de CNPJ, além da certificação de um curso em marketing digital. O segmento principal é o de produção de conteúdo, com oportunidades para profissionais de comunicação;
  • Comunica Freelancer: apesar do nome “comunica”, essa plataforma é integralmente voltada para profissionais de Tecnologia, como desenvolvimento de software e correlatos. Assim como nos outros sites, o freelancer é quem contata o anunciante para dar uma proposta;
  • Plataforma Rock Content: no mercado nacional, é uma das plataformas mais conhecidas entre freelancers de comunicação. A contratação é mediante a realização de curso e teste, e também exige CNPJ. O segmento principal é o de comunicação, como redação, revisão e criação de pautas.

Dicas para trabalhar como freelancer

Agora que você já sabe como funciona a carreira de freelancer e onde encontrar oportunidades, confira as nossas dicas para seguir esse caminho profissional.

Defina uma área e serviços que você quer oferecer

Se você é um profissional recém-formado, pode ainda não ter decidido qual área você quer seguir. Dentro de uma profissão, muitos caminhos podem ser escolhidos, mas você precisa tomar cuidado para não ser generalista demais.

Na escolha de um profissional freelancer, muitos contratantes procuram por especialistas em um assunto específico. Se você tem mais afinidade ou experiência em uma área, invista em oferecer esse serviço.

Encontre o valor do seu trabalho

Definir quanto cobrar pode ser uma grande dificuldade para profissionais freelancers. É importante que o valor do seu trabalho seja justo para ambas as partes, mas nem sempre cobrar de menos é a melhor opção.

Coloque na ponta do lápis quanto você gasta para trabalhar (contas de luz e  internet, aluguel do espaço, taxas de pagamento, estudos, etc.), quanto você precisa para se manter financeiramente e uma margem de lucro. 

Assim, você pode definir quanto cobrar por hora, por exemplo. O valor também pode ser por demanda, como por palavras (em caso de trabalhos textuais), por laudas (em revisão), por peças (em design), ou como achar melhor precificar o que você irá entregar.

Planeje suas finanças 

Se você viverá somente dessa fonte de renda, é preciso ter um planejamento financeiro bem estruturado. Além de saber quanto cobrar, você deve sempre manter uma reserva de emergência.

Trabalhar como freelancer pode ser uma carreira instável, ganhando mais ou menos dinheiro a cada mês. Com um bom planejamento, é possível manter as contas em dia durante os períodos de recessão.

Preocupe-se também com os pagamentos de impostos (para quem mantém um CNPJ), contribuição para a previdência (INSS ou privada). Lembre-se que o trabalho freelance por si só não oferece benefícios financeiros ou direitos trabalhistas como num emprego CLT.

Estabeleça uma rotina de trabalho

Manter uma rotina também pode ser um desafio, principalmente para quem trabalha em casa de forma autônoma. 

Estabeleça horários para trabalho, alimentação, lazer e descanso. Defina também quantos dias por semana você irá trabalhar e em quais horários os clientes podem te contatar. 

Continue a se aprimorar na área

Por fim, mas não menos importante, continue a estudar e se aprimorar como profissional. Manter um trabalho como freelancer é uma ótima maneira de aprender um ofício, além de montar um portfólio mais robusto. 

Se você continuar a estudar e se profissionalizar, pode até mesmo aumentar o valor do seu trabalho e, quem sabe, tornar-se um empreendedor, podendo contratar pessoas para trabalhar com você. 

Seja como for, conte conosco para investir na sua carreira. Acompanhe nossos artigos no blog e nas redes sociais e saiba como a Afinz pode contribuir para a sua vida profissional.