Os Estados Unidos sempre sofreram com a baixa mão de obra em alguns trabalhos mais braçais — isso era resolvido com a chegada de imigrantes, a maioria de países da América do Sul, com o visto de trabalho nos EUA, recurso oferecido anualmente. 

Porém, no momento pós-pandemia, o mercado de trabalho americano sentiu falta de mais trabalhadores em outros setores, como o de alimentação, comércio e atendimento ao público. 

No ano passado, o país chegou ao número de 10 milhões de vagas de emprego disponíveis, número nunca visto antes. 

Por que isso aconteceu? Entenda a falta de mão de obra nos Estados Unidos e saiba como isso pode se tornar uma oportunidade para brasileiros. 

Porque falta mão de obra?

Não existe um único motivo que pode ser culpado pelo que acontece nos EUA — são várias razões que levaram a população americana a buscar novas formas de ganhar dinheiro. 

Vamos listar as principais causas:

1. Salários

No momento pós-pandemia, em que donos de empresa precisam mais do que nunca de funcionários, os trabalhadores viram uma oportunidade de ganhar um salário maior (e justo) por seu esforço. 

Nos EUA, cada estado tem uma média de salário mínimo, mas no geral, é difícil que uma pessoa aceite trabalhar por menos de US$15 por hora. Se o estabelecimento não pode pagar esse valor, vai ter muita dificuldade em encontrar alguém disponível para o trabalho. 

2. Condições de trabalho

Os empregos de atendimento ao público nos EUA são notoriamente conhecidos por suas condições precárias. Muitas horas trabalhadas, poucos benefícios e salário baixo — antes, só quem não tinha outra escolha optava por esses empregos. 

Atualmente, com tantas vagas disponíveis, as pessoas buscam boas condições de trabalho.

3. Cuidado parental

Muitas crianças ainda não puderam voltar à escola presencial e os EUA não possuem um sistema de creches públicas, o que impossibilitou que muitos pais voltassem a trabalhar em tempo integral. 

É esperado que com a volta das aulas presenciais isso mude, mas no momento é um problema enfrentado pelo país. 

4. Vantagens para desempregados

Durante a pandemia, os desempregados nos Estados Unidos receberam uma espécie de auxílio emergencial de US$300 por semana para auxiliar nas despesas. 

É uma ajuda baixa, mas que encorajou muitas pessoas a continuarem em casa por sua própria segurança, por conta do alto número de casos da variante Delta no país. 

5. Modelo remoto

O trabalho home office se popularizou no mundo todo nos últimos anos, por motivos óbvios. Por ser uma forma de ganhar dinheiro e diminuir gastos de locomoção e alimentação, além de permitir que pais fiquem com as crianças enquanto trabalham. Isso desencorajou muito a busca por empregos presenciais.

Setores que mais estão carentes nos EUA

Os setores básicos são os que mais sofrem com a falta de mão de obra nos Estados Unidos. Ou seja, aqueles empregos que não pedem por algum tipo de ensino específico, como cursos superiores. 

Os estabelecimentos que mais procuram por funcionários atualmente são:

  • Restaurantes;
  • Lojas;
  • Supermercados;
  • Fábricas;
  • Serviços de entrega;
  • Call centers.

Como conseguir emprego nos EUA?

A falta de mão de obra de residentes americanos pode ser vista como uma boa oportunidade para aqueles que desejam sair do Brasil para tentar uma nova vida nos Estados Unidos. 

Principalmente nesse momento em que existem tantas vagas disponíveis e poucas pessoas desejando ocupar esses lugares, um brasileiro regulamentado e com conhecimentos suficientes em inglês poderia facilmente conseguir um emprego no país. 

Para isso, você pode usar um website como Indeed ou Jooble, que mostram vagas disponíveis em várias áreas de atuação.

Porém, migrar para outro país não é coisa simples, antes de tudo você vai precisar de um passaporte e visto para entrar legalmente nos EUA. 

Como conseguir visto de trabalho nos EUA?

O visto é com certeza a parte mais importante para entrar nos Estados Unidos, e se tratando de visto de trabalho, é um dos documentos mais complicados de se conseguir. 

Isso porque o governo do país só permite que uma pessoa tire o visto de trabalho se ela já estiver em processo de contratação por uma empresa americana, que será sua patrocinadora (ou sponsor, como chamam). 

Existe mais de um tipo de visto de trabalho americano, a depender da função que a pessoa irá exercer no país. E não é permitido de forma alguma que você trabalhe no país com um visto de turista.

Se você conseguiu um sponsor, ótimo! Depois disso, é só lidar com a parte burocrática de documentos e comprovações diversas de seus dados. Preencha tudo com muita atenção, pois qualquer erro nessas informações pode resultar em um visto negado. 

O processo é feito em partes online e presenciais nos consulados americanos espalhados pelo Brasil todo. 

Uma outra opção: estudar e trabalhar nos EUA

As faculdades americanas são conhecidas no mundo todo por ter um ensino excelente, por isso muitas pessoas sonham com a oportunidade de estudar em uma delas. 

Porém, pode ser difícil se manter somente como estudante no país, surge então a opção de trabalhar em meio período para bancar as despesas. 

Para isso, serão dois processos. O primeiro é de aceitação no curso ou universidade desejada — cada uma tem um protocolo, então o ideal é buscar entre as que te interessam. 

Depois disso, você pode procurar por um emprego no país. Porém, é importante avisar que para trabalhar com o visto F-1, você não precisa de um sponsor, mas deve provar que de alguma forma consegue bancar seus estudos no país, mesmo se não conseguir um emprego. 

Quanto custa o visto de trabalho dos EUA?

É importante você saber que cada tipo de visto é voltado para trabalhadores de diferentes áreas, e o valor pode ser mudado de um para outro, ok?

O visto mais comum, H-2B, é para trabalhadores temporários em empregos qualificados ou não qualificados. Qualquer um com uma proposta de trabalho pode aplicar para ele. 

As taxas que precisam ser pagas são a de solicitação do visto, que custa US$190 e uma adicional que custa US$100. No total, são US$290, em torno de R$1.475 (pode mudar de acordo com a cotação).

Vale a pena trabalhar nos EUA?

Depois de entender como funciona o trabalho nos Estados Unidos, você deve estar se perguntando se todo esse esforço vale a pena.  A resposta para essa pergunta vai depender das suas condições, momento de vida e o que planeja para o futuro.

O custo de vida comparado com o valor do dólar nos EUA é mais vantajoso que o brasileiro. Porém, isso vai depender da cidade que decidir morar. 

Antes de viajar você vai desembolsar uma quantia de dinheiro significativa para conseguir todos os documentos necessários do visto de trabalho nos EUA. 

No geral, morar em outro país é sempre uma experiência válida de contato com outras culturas, então se você tem condições financeiras, a resposta é que sim, vale a pena.