Março chegou, e com ele foi aberta a temporada de declaração de Imposto de Renda 2022. E, como todos os anos, surgiram dúvidas sobre quem precisa declarar e como isso é feito. 

Com certeza você já ouviu falar do imposto, mas muita gente não sabe bem o que é, para que serve e quem tem a obrigação de declarar os rendimentos para o governo. 

O processo de declaração do Imposto de Renda pode parecer um monstro de sete cabeças para quem nunca o fez, mas, na verdade, ele pode ser simples e rápido, basta saber como funciona. 

Para te ajudar a descobrir se você precisa declarar, e se sim, como fazer isso, reunimos mitos e verdades sobre o Imposto de Renda 2022 — continue lendo para saber mais!

O que é Imposto de Renda?

Antes de tudo, é bom entender: o Imposto de Renda é um tributo do governo brasileiro sobre a renda, como o próprio nome diz. Basicamente, ele serve para acompanhar o seu patrimônio.

Com ele, o governo pode saber o quanto você ganhou no ano, e comparando com o que você gastou, seja em produtos, serviços ou outras funções, ele define se você será compensado pelos impostos ou se precisa pagar algo. 

O valor pago de impostos vai depender do que cada um recebe: quem recebe mais, paga mais em impostos, e vice-versa — quem recebe menos, paga menos. Tanto pessoas físicas quanto jurídicas precisam fazer a declaração. 

O dinheiro do recolhimento do Imposto de Renda vai para melhorias no país, em serviços públicos de cada estado, além de também ser destinado em projetos de saneamento, culturais, esportivos, tudo que é benéfico para a população.

Prazo para declarar o Imposto de Renda 2022

Todo ano existe um prazo para declaração de Imposto de Renda. Normalmente, o tempo é suficiente para garantir que todos possam preencher tranquilamente. 

Em 2022, a data limite para entregar a declaração do IR é dia 29 de abril. Portanto, se você se encaixa nos requisitos, ainda tem tempo para reunir os documentos e preencher. 

Mitos e verdades sobre a declaração do Imposto de Renda

Por ser um assunto que muita gente não entende, é normal que alguns mitos sejam espalhados sobre o Imposto de Renda. 

Para você não cair em nenhuma cilada, vamos desvendar as maiores questões sobre a declaração, dá uma olhada!

Quem tem mais de 65 anos não precisa fazer a declaração do Imposto de Renda

Mito! Se o idoso receber o suficiente para se encaixar nas regras comuns do IR, ele deve declarar. O que muda é que aposentados pela Previdência Social têm o direito de isenção sobre uma parcela da aposentadoria. Além disso, eles têm prioridade no recebimento da restituição. 

Uma vez isento, você nunca mais precisará declarar IR

Mito! Todo ano você deve conferir se precisa declarar o Imposto de Renda. Pode acontecer de não se encaixar nos requisitos atuais, mas se encaixar nos do próximo ano, principalmente se adquirir algum bem, receber uma promoção, ou trocar de emprego. 

O seu salário determina se você deve declarar ou não

Mito. O seu salário pode ser uma das razões, mas não é a única. Em 2022, pessoas com rendimentos tributáveis acima de R$28.559,70 no ano anterior devem declarar. Mas, existem outros requisitos, como:

  • pessoas com rendimentos não tributáveis/isentos com soma maior do que R$40.000;
  • pessoas que somaram mais de R$300.000 em bens até o fim de 2021;
  • pessoas com receita bruta anual superior a R$142.798,50 em atividade rural;
  • pessoas que ganharam dinheiro com a compra de bens em 2021;
  • pessoas que realizaram operações na bolsa de valores, como investimentos;
  • pessoas que conseguiram isenção na venda de algum imóvel para adquirir outro em 180 dias;
  • pessoas que se mudaram para o Brasil durante 2021.

MEI precisa declarar IRPF

Verdade! Mas com ressalvas. Apenas deve declarar IRPF aquele MEI que recebeu rendimentos tributáveis acima de R$28.559,70, ou a soma total de seus rendimentos (em outro emprego, por exemplo), é acima de R$40 mil ao ano. Em todo caso, deve se declarar a DASN-SIMEI, Declaração Anual do Simples Nacional do MEI, obrigatória para todos, independente do valor recebido.

A Receita Federal monitora as redes sociais

Mito! A Receita Federal não monitora nenhuma rede social no Imposto de Renda. São analisados apenas os dados que você fornece durante a declaração e os outros que já são de conhecimento do governo. 

Quem não informa todos os bens, pode cair na malha fina

Verdade! Mas, não apenas isso. Outros erros como números errados, omissão de rendimentos de dependentes e ações, dívidas escondidas e falta de informação também podem levar à malha fina, que pode atrasar o recebimento da restituição em  até 5 anos. 

Declarar dependentes é sempre vantajoso

Nem sempre. Se o dependente possui uma renda, pode não ser vantajoso incluí-lo na sua declaração, já que você precisará incluir esses rendimentos dele no seu próprio IR, assim como os bens da pessoa. Pode acabar pagando mais imposto.

A Receita monitora apenas despesas e rendimentos

Mito. A fiscalização é feita sobre todo o patrimônio de uma pessoa – ou seja, os bens também são levados em consideração no IR. Os bens obrigatórios são aqueles acima de R$300.000. Mesmo assim, é indicado que você inclua na declaração os gastos com educação própria e de dependentes, gastos médicos e comprovantes de pensão alimentícia se houver. 

Doar para ONGs pode ajudar na declaração do Imposto de Renda

Verdade! Ao doar, você pode abater até 6% do Imposto de Renda, no esquema de abatimento. Isso é permitido para pessoas físicas e jurídicas, e não precisa ser feito só durante a época de declaração. 

Se cair na malha fina, a multa é certa

Mito! Se você for notificado por algum erro no Imposto de Renda, pode corrigir por meio da declaração retificada. Se depois disso tiver algum imposto devido, vão cobrar 0,33% por dia de atraso, além de juros de mora que vão de acordo com a taxa Selic do período. Porém, se não houver imposto devido, você não precisa pagar nada a mais. 

Declaração simplificada é sempre melhor

Mito. Se você possui poucos gastos para deduzir do Imposto de Renda, sem dependentes e outros valores altos, a simplificada é sim a melhor opção. Mas, caso contrário, o ideal é fazer a declaração completa.

Mais informações sobre a declaração do IRPF em 2022

Sabemos que declarar Imposto de Renda pode ser complicado, principalmente para os marinheiros de primeira viagem. Por isso, aqui vão mais informações sobre o processo. 

Saiba que, por mais que pareça complicado, seguindo as regrinhas impostas pela Receita Federal, você não terá problemas! 

Documentos necessários para declarar o Imposto de Renda

Se encaixa em uma ou mais categorias citadas acima? Já pode preparar os documentos para realizar a declaração do Imposto de Renda 2022. Dá uma olhada em quais são necessários. 

  • CPF;
  • comprovante de residência;
  • título de eleitor;
  • dados bancários;
  • CPF e data de nascimento de dependentes e cônjuge;
  • última declaração de Imposto de Renda.

Dependendo dos tipos de movimentação financeira que você fez, podem pedir mais documentos. Portanto, separe comprovantes de rendimentos, aluguéis, informe de rendimentos de dependentes e cônjuge, pois podem ser necessários. 

Como incluir dependentes no Imposto de Renda?

Cada dependente no Imposto de Renda pode conferir até R$2.275,08 reais em dedução. Portanto, se você possui algum, pode valer a pena incluir na declaração.

Contam como dependentes: filhos, enteados, cônjuge, irmãos, netos, bisnetos, pais, avós, bisavós e até sogros — contanto que essas pessoas sejam realmente parte importante da sua vida financeira, ou seja, causam despesas mensais e não tenham renda mensal, como aposentadoria, por exemplo.

Para incluir algum dependente, é só usar o programa de declaração e clicar na barra “dependentes”, que fica perto da “identificação do contribuinte”. Você precisará incluir informações básicas como CPF, nome e data de nascimento da pessoa. 

Restituição do Imposto de Renda 2022, como funciona?

A restituição é um benefício que você recebe caso tenha contribuído mais do que deveria em impostos durante o ano analisado. 

A restituição é calculada pelo governo de acordo com os lançamentos dos seus bens na declaração de Imposto de Renda. O dinheiro é depositado na conta que você informou no programa do IR. 

É normal que as pessoas que declaram planos de saúde, gastos com educação e contribuição com a previdência social ganhem restituições sobre esses valores. 

A dica é: quanto mais cedo você entregar o IR, mais cedo receberá a restituição, já que a mesma é liberada em lotes. Portanto, declare o mais rápido possível para receber já nos primeiros lotes. 

Afinz e você 

Você já sabe que estamos aqui em todos os seus momentos financeiros, oferecendo as melhores soluções para qualquer problema — seja ele pessoal ou no seu empreendimento. 

Mas, você sabia que a Afinz também tem um canal especial no Instagram onde damos dicas para você cuidar do seu dinheiro? Acesse @afinzoficial e acompanhe nossas postagens!