O Banco Central anunciou nesta semana a disponibilização de uma ferramenta chamada Minha Vida Financeira, juntamente com o serviço SVR (Sistema de Valores a Receber).

Com a ferramenta, qualquer pessoa pode verificar se existe alguma quantia de dinheiro que ficou esquecida em um banco por algum motivo, e reaver o valor de uma forma prática e rápida. 

A consulta pode ser feita por pessoas físicas, jurídicas e empresas de todos os portes. 

Segundo informações do Banco Central, existem cerca de R$ 8 bilhões disponíveis para resgate, pertencentes a 28 milhões de brasileiros.

Desde a abertura da ferramenta, mais de 70 mil pessoas já retiraram dinheiro, um total de em torno de R$ 900 mil.

No dia 26 de janeiro, a ferramenta saiu do ar por apresentar instabilidades devido ao grande número de acessos. Para atender as demandas públicas, uma nova plataforma foi desenvolvida pelo Banco Central e já está disponível.

De onde vem esse dinheiro?

Basicamente, o dinheiro disponível é proveniente de contas antigas que foram encerradas sem a retirada do valor, ou então de cobranças indevidas feitas pelas instituições financeiras. 

Essas cobranças indevidas podem ser parcelas, operações de crédito e consórcios encerrados.

Ou seja: não é nenhum tipo de crédito, golpe ou retirada de dinheiro do FGTS. É apenas o ressarcimento de um valor que já foi pago ou pertencia a uma pessoa, ou empresa.

É importante frisar que nem todas as pessoas possuem valores disponíveis, e que o montante pode variar, não é uma quantia exata.

Como faço para consultar valores a receber?

 A consulta pode ser feita diretamente no Sistema Valores a Receber, do Banco Central. Para isso, clique aqui.

Para realizar sua consulta, será necessário informar CPF ou CNPJ e data de nascimento ou abertura da empresa. Após inserir estes dados, o sistema irá verificar se existe algum valor para recebimento.

Caso a resposta seja positiva, é importante ficar atento ao calendário de regaste de acordo com a data de nascimento ou criação da empresa. Veja abaixo:

  • Pessoas nascidas/empresas criadas antes de 1968: agendamento para consulta e resgate pode ser feito entre 7 e 11/3;
  • Pessoas nascidas/empresas criadas entre 1968 e 1983: agendamento para consulta e resgate pode ser feito entre 14 e 18/3;
  • Pessoas nascidas/empresas criadas após 1983: agendamento para consulta e resgate pode ser feito entre 21 e 25/3.

Após conseguir sua data de agendamento, será necessário realizar um cadastro gratuito no sistema Gov.br. O recebimento só será permitido para cadastros nível prata ou ouro. Para habilitar esses níveis de segurança é necessário fazer reconhecimento facial ou  certificado digital compatível com o Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP Brasil).

Após realizar seu cadastro nível prata ou ouro, retorne ao Sistema Valores a Receber, do Banco Central, na data de seu agendamento.

Caso você perca a data de seu agendamento, é possível participar das chamadas “repescagens” que também são divididas de acordo com o visto acima:

  • Pessoas nascidas/empresas criadas antes de 1968: repescagem no dia 12/3, das 4h às 24h;
  • Pessoas nascidas/empresas criadas entre 1968 e 1983: repescagem no dia 19/3, das 4h às 24h;
  • Pessoas nascidas/empresas criadas após 1983: repescagem no dia 26/3, das 4h às 24h.