Morar sozinho é um sonho de muita gente. Aqueles que desejam um lar só seu dão muitos motivos para isso: ter mais privacidade, mais sossego, mais espaço para fazer suas atividades e mais liberdade para fazer as pequenas e grandes escolhas do dia a dia.

A boa notícia é que este é um sonho definitivamente realizável, mas para tanto é necessário um planejamento cuidadoso, além de muita responsabilidade.

Quer você tenha 18 anos ou 40 anos, é possível que nunca tenha morado sozinho, mas não há idade certa ou errada para ter um lar só seu. O único verdadeiro pré-requisito é a responsabilidade.

Você acha que tem o que é necessário para ser o único responsável pela própria vida? Confira nosso guia para morar sozinho e descubra se essa é a escolha certa para você no momento.

As vantagens de morar sozinho

Morar sozinho tem muitas vantagens, e todas elas estão associadas ao sossego e à privacidade. Quando você não divide o lar com mais ninguém, todas as decisões do cotidiano doméstico podem ser tomadas da forma que for mais útil ou conveniente para você.

Decorar a casa do seu jeito, cozinhar com todos os seus temperos favoritos, assistir o filme que quiser na TV da sala e dançar com a vassoura na mão no mais completo sossego.

Nada de divergências de opiniões, costumes ou prioridades. Você pode limpar a casa no meio da madrugada e comer pizza no café da manhã, sem se preocupar se as outras pessoas com quem você mora também estarão dispostas a isso. 

Por último, morar sozinho pode ser uma ótima oportunidade de desenvolver independência emocional e financeira, entrar em contato consigo mesmo e evoluir certos pontos de vista. Uma experiência verdadeiramente transformadora quando conduzida com responsabilidade.

As desvantagens de morar sozinho

Se morar sozinho traz a liberdade de poder adiar a lavagem da louça e jantar sorvete, uma casa só sua também exige a responsabilidade para saber que estas não são escolhas saudáveis quando repetidas e invariáveis.

Não há nada de errado em comer aquele prato favorito ou se permitir descansar após um dia cansativo, mas é necessário ter muito cuidado para não perder a disciplina e a motivação de ter um estilo de vida saudável.

Quando você mora sozinho, nem sempre terá alguém ao seu lado para apontar escolhas pouco saudáveis ou responsáveis que você faça, aumentando o risco de excessos.

Outra desvantagem de morar sozinho é que é fácil sentir-se isolado ou solitário. Se você trabalha em home office, por exemplo, e mora sozinho, é possível que passe dias sem ter contato com outras pessoas. Isso pode ser ruim para a sua saúde física e mental.

Vale lembrar que como único morador da casa, você será o único responsável por custear os gastos que ela implica. Produtos de limpeza, roupas de cama e banho, itens de higiene pessoal, alimentos, aluguel, internet e outras despesas serão de inteira responsabilidade sua, o que significa gastos elevados.

Como se organizar para morar sozinho?

O segredo para ter uma boa experiência morando sozinho é um extremo compromisso com a organização e responsabilidade. Estes dois ingredientes nunca são demais quando o assunto é a gestão de um lar.

Para garantir uma transição tranquila e não sofrer no processo, são importantes a preparação, o planejamento e a coragem. Confira abaixo o nosso guia e entenda:

Prepare-se

Antes da mudança, busque separar um período de alguns meses (se possível) para preparar tudo para a sua mudança. Durante esse período você buscará se organizar para dar conta de todas as necessidades do processo de morar sozinho.

Organização financeira

Você será o único responsável por sustentar a casa, por isso é fundamental ter uma boa organização financeira. Você deve conhecer seu orçamento e ter controle sobre ele para garantir que conseguirá pagar todas as contas em dia.

Antes de decidir morar sozinho, faça uma pesquisa realista do mercado na sua região e avalie se você de fato tem condições de morar sozinho. 

Lembre-se de que precisará pagar pelo aluguel, água, luz, internet, alimentos e gás. Além disso, será necessário ter um orçamento para comprar roupas, calçados e medicamentos, dentre outros gastos esporádicos.

Independência

Cuidar de uma casa sozinho não é tarefa simples. Se você não tem grande experiência com tarefas como cozinhar e lavar roupas, por exemplo, precisará adquirir estas habilidades rapidamente. Elas são essenciais para que uma pessoa tenha uma vida digna e funcional.

Aprenda a cozinhar refeições saudáveis e balanceadas, pois, se você se alimentar mal poderá ficar doente com frequência — o que não é muito divertido quando você mora sozinho e ninguém está lá para te auxiliar.

O imóvel

Quer você vá comprar ou alugar, escolha um imóvel que caiba confortavelmente no seu orçamento. 

Também esteja atento à localização: busque imóveis próximos a estabelecimentos convenientes e outros destinos frequentes do seu dia a dia, como o trabalho ou a faculdade.

Tenha certeza de que o imóvel está em boas condições e não apresenta problemas estruturais. Isso poupará futuras dores de cabeça.

Mobília

Mobiliar a casa toda pode levar algum tempo, mas você irá querer dar prioridade à compra dos seguintes itens: cama, guarda-roupas, máquina de lavar, geladeira, fogão, microondas.

Estes itens são essenciais para você ter autonomia para realizar as tarefas básicas do dia a dia, como se alimentar e higienizar a si e suas vestimentas.

Vale a pena morar sozinho?

Morar sozinho costuma ser uma experiência absolutamente positiva para quem toma os cuidados necessários. Se pesarão mais as vantagens ou desvantagens, dependerá de cada caso em particular.

O que se pode dizer, de modo geral, é que vale a pena morar sozinho, nem que seja pelo caráter de autoconhecimento dessa experiência. Se descobrir que não é para você, ainda terá a garantia de uma experiência de redescoberta da própria companhia.

Mas não esqueça de caprichar no planejamento! Confira as nossas dicas de organização financeira e comece com o pé direito seu futuro de independência e sossego.