Se você já planejou uma viagem internacional ou importou um produto, percebeu que o dólar turismo e o dólar comercial têm valores diferentes. Mas você sabe por que isso acontece?

Saber qual dólar você precisa comprar ou qual cotação acompanhar é importante para o seu planejamento, seja de viagem ou de compras. E além desses dois tipos, existem ainda outras categorias do dólar americano.

Para entender o que muda em cada um, porque os valores são diferentes e como negociar com dólar americano, confira as nossas dicas neste artigo. Boa leitura!

O que significa cada nomenclatura do dólar?

O dólar americano, embora seja uma moeda local dos Estados Unidos, é uma das principais moedas do mercado financeiro, utilizado como parâmetro para precificar diversos serviços, produtos e outros ativos.

Por ser tão presente no mercado mundial, é necessário classificar a moeda em diferentes tipos, facilitando então o câmbio.

Essas nomenclaturas podem ser um pouco confusas, mas te explicamos a seguir o que representa cada uma.

Dólar Comercial

Esse é um dos dólares mais importantes para a economia, pois é com ele que fazemos negociações comerciais. 

Essa moeda é a mais utilizada pelas empresas para negociar seus produtos e serviços, geralmente para exportação e importação. Sendo assim, é a cotação do dólar comercial que movimenta o mercado, como os bancos de ações e o valor de produtos comercializados.

Dólar Turismo

O dólar turismo é a moeda que pode ser comercializada em casas de câmbio, sendo então a moeda que temos acesso quando vamos viajar.

É importante ressaltar que, mesmo que o dólar comercial seja o utilizado para negociações, tudo o que você gastar na viagem será convertido pela cotação do dólar turismo.

Isso acontece porque o dólar comercial é uma moeda local e do mercado de ações, não podendo ser utilizada por pessoas que não residam ou não tenham negócios nos EUA.

Então, se você estiver de viagem marcada e quiser fazer compras por lá, lembre-se que todos os gastos seguirão a cotação do dólar turismo, mesmo os gastos com cartão de crédito

Dólar Paralelo

O dólar paralelo recebe esse nome por não ser reconhecido pelo Branco Central e as negociações com essa moeda são clandestinas, o que não é recomendado em nenhum caso.

As negociações desse tipo envolvem cotações paralelas às oficiais, como do dólar comercial e dólar turismo, e já foi utilizada como “seguro” em tempos de crise econômica no Brasil. Porém, hoje essa prática é irregular e não deve ser utilizada! 

Outros tipos da moeda

Além dos termos mais utilizados para o dólar, você também pode encontrar as seguintes cotações:

  • Dólar Futuro: não é a moeda que utilizamos em pagamentos, mas um contrato de venda ou compra de dólar, como uma data pré-definida para ser comercializada. Essa transação é muito utilizada por empresas que querem negociar apostando em uma cotação mais baixa que a do mercado no dia definido;
  • Dólar à vista: é o dólar mais utilizado em negociações diretas entre empresas, que registram as operações pela Bovespa;
  • Dólar PTAX: na verdade, é a taxa PTAX, uma das taxas do dólar. Essa taxa é calculada durante o dia e serve para estimar a média da cotação do dólar. O cálculo é feito diariamente pelo Banco Central e guia a taxa de câmbio das instituições.

Por que o dólar turismo é mais caro que o dólar comercial?

Assim como acontece com a negociação de outras moedas estrangeiras para fins turísticos, esse dólar é mais caro que o comercial.

Isso acontece porque ambos são cotados de acordo com a movimentação do mercado. E como o dólar turismo não é negociado por grandes empresas, tende a ser comercializado com taxas mais altas.

O valor também sobe de acordo com cada casa de câmbio. Ao negociar o dólar turismo, a casa de câmbio precisa revender os dólares, cobrindo gastos como segurança, taxas de transações e garantir a margem de lucro sobre a negociação.

Tudo isso influencia no valor final que você irá pagar pelo dólar. Por isso é importante que você faça uma pesquisa em diferentes casas de câmbio e acompanhe a cotação antes de realizar uma compra ou venda.

Taxas para compras em dólar

Ao realizar compras no exterior, por importação ou diretamente, ou comprar dólares para viajar, algumas taxas são cobradas diretamente para essa negociação.

No caso do câmbio, é preciso ter atenção ao VET (Valor Efetivo Total), um número que inclui todos os custos da transação cambial. O VET inclui a cotação do dólar turismo, tarifas e taxas cobradas pela casa de câmbio e o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

O IOF também é cobrado em todas as transações internacionais, em débito ou crédito. Em 2022, as taxas do IOF estão em:

  • Compra de Moeda Estrangeira: 1,1%
  • Transferência Internacional (Brasil para o exterior) — Titularidade Própria: 1,1%
  • Transferência Internacional (Brasil para o exterior) — Terceiros: 0,38%
  • Transferência do exterior para o Brasil: 0,38%
  • Compras com Cartão de Crédito Internacional: 6,38%
  • Compras com Cartão de Débito Internacional: 6,38%
  • Compras com Cartão Pré-Pago Internacional: 6,38%

Sendo assim, na hora de comprar dólares, tenha em mente que 1,1% será acrescentado ao valor final. Nas compras internacionais (de produtos ou serviços) com cartão, serão adicionados 6,38% do valor.

Outra taxa aplicada ao valor final é o spread ou “ágio”. O spread indica a diferença entre o preço de compra da moeda (pela casa cambial, banco ou agência de turismo) e o valor de venda (ao consumidor). 

Esse valor também pode incluir os custos com a negociação. Entre os bancos tradicionais e casas de câmbio, a taxa fica entre 2% e 4%, mas em alguns casos pode ter negociações melhores e chegar a 0%.

Qual o câmbio para conversão em compras internacionais?

Nesses casos, vai depender da financeira responsável pelo seu cartão de crédito ou débito, ou a responsável pela emissão do boleto. Isso acontece porque o Banco Central do Brasil deixa a cargo dos bancos a escolha pelo melhor câmbio.

Sendo assim, não temos como confirmar se estamos comprando com a cotação do dólar turismo ou comercial. A maioria dos bancos utiliza a cotação do comercial, e muitas lojas até oferecem uma conversão final no checkout, mas não é informado qual cotação foi utilizada. Além disso, vale lembrar que é cobrada a taxa de 6,38% por transação.

Conversão do dólar nas compras com cartão de crédito

É possível usar o cartão de crédito para fazer compras internacionais tanto em lojas físicas quanto em lojas virtuais. As taxas não mudam entre elas!

Como sempre, é necessário lembrar do IOF, que é de 6,38% e será cobrado em cada transação internacional. Ainda assim, a praticidade de poder usar o mesmo cartão no Brasil e fora dele é imensa. 

Ainda não tem um cartão de crédito internacional? Faça o seu cartão Afinz e aproveite todas as vantagens. Saiba mais clicando aqui.

Existem regras para a compra de dólar?

A regra primordial do Banco Central é que turistas não tenham acesso ao dólar comercial para utilizar em viagens. 

As outras regras dependem da casa cambial onde você irá negociar e a comprovação de renda que é pedida para isso.

Embora não tenha um limite máximo de dólar turismo que possa ser comprado, é necessário apresentar um comprovante com a origem do dinheiro em reais, além de comprovante de renda que atesta que você tem condições de negociar essa quantia.

Porém, até US$ 3 mil, as negociações são mais simples e necessitam apenas da apresentação dos seguintes documentos:

  • Carteira de identidade ou outro documento de identificação com foto;
  • CPF;
  • Comprovante de residência recente.

Já para negociar valores acima de US$ 3 mil, é preciso comprovar a origem do dinheiro, podendo utilizar a declaração de Imposto de Renda, folha de pagamento ou outro documento comprobatório.

Como e onde comprar dólar?

Com a tecnologia, comprar dólar ficou ainda mais fácil e prático, podendo até não precisar levar nenhum dinheiro em espécie com você na viagem. 

Entre as possibilidades de negociar com dólar turismo, você pode planejar sua viagem comprando dólares em:

  • Bancos tradicionais: a maioria dos bancos oferece o câmbio junto da conta-corrente. Basta procurar pela opção no aplicativo ou direto na sua agência; 
  • Casas de câmbio: é o meio mais tradicional, ideal para quem quer viajar com dinheiro vivo, ou tem alguns dólares em casa e precisa vender;
  • Contas globais: a grande novidade para quem viaja ao exterior. Você faz o câmbio pela conta e pode utilizar normalmente no exterior, sem precisar levar dinheiro vivo;
  • Cartões pré-pagos: muitas empresas de cartões de crédito oferecem a venda de dólar, geralmente com saldo em cartões pré-pagos (ou travel money).

Entendeu as diferenças entre os tipos de dólar? Agora é só se preparar o bolso! Para mais dicas como essas, confira os nossos artigos do blog Afinz e nos siga nas redes sociais. Afinidade é estar presente!