Se você tem uma empresa, você quer que ela cresça, correto? Uma das ferramentas mais importantes no crescimento de qualquer empresa é o fluxo de caixa.

Pois é! Muitas pessoas pensam que ele só serve para documentar o que é feito financeiramente, mas não é só isso. 

Reunimos neste artigo tudo o que você precisa saber sobre o fluxo de caixa e como ele é essencial para o funcionamento e crescimento de um negócio. 

O que é fluxo de caixa?

O fluxo de caixa é uma ferramenta de gestão financeira muito importante para qualquer empresa — seja ela grande ou pequena.

Basicamente, o fluxo de caixa é onde você anota toda a vida financeira da empresa: todos os valores recebidos de clientes, pagos a fornecedores, usados para manter o empreendimento funcionando…

Ou seja: todo o dinheiro que entra e sai faz parte do fluxo de caixa. É importante saber que ele deve ser documentado todos os dias, incluindo todos esses valores. Também entram o dinheiro guardado ou investido e qualquer outra quantia referente à empresa. 

Esses lançamentos são feitos pela área administrativa ou financeira da empresa, e analisados ao final do mês para verificar as oportunidades de crescimento e melhorias. 

Para que serve?

Não é à toa que o fluxo de caixa é considerado uma das principais ferramentas de uma empresa. Ele tem várias funções. 

Primeiro, serve para manter o controle das despesas — saber em que o dinheiro é gasto é essencial para definir as prioridades da empresa e cortar gastos quando necessário. 

O fluxo de caixa também é usado para a contabilidade de ganhos, com todas as vendas registradas. Assim, é possível analisar os produtos que mais valem a pena, os preferidos dos clientes, e ajustar o que é oferecido. 

Com os empréstimos e outras transações financeiras documentadas, assim como todos os outros dados coletados, o fluxo também servirá para definir o futuro da empresa, observando onde existem possibilidades de crescimento. 

Qual a diferença entre fluxo de caixa e controle de caixa?

Muitos podem pensar que fluxo e controle são a mesma coisa, mas não é verdade! São duas formas de organização financeira que andam juntas.

O controle de caixa é mais relacionado com os valores registrados diariamente no caixa de uma empresa. Ou seja: o dinheiro que entra com cada venda, podendo ser à vista ou parcelado.

Depois, esse controle é registrado no fluxo de caixa, onde é possível ver os valores mensais, anuais, ou de outros períodos. De certa forma, o fluxo de caixa é mais amplo que o controle de caixa. 

Tipos de fluxo de caixa

Uma coisa que nem todo mundo sabe é que não existe só um tipo de fluxo de caixa.  

São várias as formas de organizar a contabilidade da empresa, é importante decidir qual a mais adequada para o seu negócio.

Mas, independente da escolhida por você, ela só vai funcionar de verdade se tudo for documentado, cada transação e negociação financeira. Essa responsabilidade é da equipe de administração ou financeira!

Entenda os principais tipos de fluxo de caixa e como eles podem ser usados para alavancar os seus resultados.

Fluxo de caixa operacional

Esse fluxo é o gerado pelas receitas e despesas da empresa. Nele, só constam essas informações, do que entrou e saiu do caixa. 

É básico, mas já é de grande ajuda para definir os pontos fracos e fortes da empresa e ter uma noção do que acontece com as finanças. É um bom começo, caso você não tenha costume de fazer fluxo de caixa. 

Fluxo de caixa direto

O fluxo de caixa direto registra tudo, recebimentos e pagamentos, sem aplicar os descontos. Ou seja: ele usa os valores brutos, e não os líquidos. 

Tudo é organizado por categoria, separando as movimentações de clientes, fornecedores, impostos, etc. Ele é o mais usado pelas empresas. 

Fluxo de caixa indireto

O fluxo de caixa indireto se baseia nos Demonstrativos de Resultados do Exercício, que também é uma ferramenta financeira importante para empresas. 

O DRE aponta os lucros e prejuízos, indicando em quais áreas eles aconteceram. Por isso, esse documento ajuda a entender melhor onde o dinheiro é aplicado durante o período de análise. 

Fluxo de caixa projetado

O fluxo de caixa projetado é feito da seguinte forma: o gestor reúne todos os recebimentos e pagamentos do período e usa esses dados para fazer uma projeção do futuro da empresa. 

Essa técnica é muito útil para corrigir falhas, entender o que está sugando recursos e organizar melhor a área financeira. 

Fluxo de caixa livre

O fluxo de caixa livre é um pouco mais complicado. Ele usa dois relatórios: um que apresenta o projeto de resultados da empresa entre 60 e 90 dias, e outro que mostra o mesmo em 2 a 5 anos. 

Com isso, ele consegue mostrar o capital esperado em curto, médio e longo prazo. É ideal para quem quer entender se vale a pena continuar investindo na empresa. 

Quais são os benefícios do fluxo de caixa?

O maior benefício de um fluxo de caixa é dar a uma empresa total controle das finanças. Com tantas movimentações acontecendo todos os dias, é fácil perder de vista o que realmente acontece com o dinheiro. 

Além disso, ao observar os dados você evita pagamentos atrasados, juros e multas — já que tudo está listado no fluxo, torna-se difícil esquecer. Isso tudo faz com que os problemas financeiros passem longe!

O fluxo de caixa também ajuda muito na tomada de decisões. Analisando o contexto geral das finanças da empresa, os gestores podem definir os próximos passos para crescimento do negócio — que é o objetivo de todo empreendedor! 

Dicas para ter um fluxo de caixa eficiente

Não adianta só começar a anotar os gastos sem nenhum discernimento, estratégia e objetivos em mente. O fluxo de caixa só funciona se existir motivação e ele for feito da maneira correta. 

Com as informações certas e planos de ação, seu negócio poderá colher todos os bons frutos de um fluxo de caixa — por isso é tão importante ter uma base sólida. 

Para te ajudar com isso, aqui vão algumas dicas para um fluxo de caixa eficiente, sem erros e realmente útil para o empreendimento. 

Invista num bom sistema de gestão

Você pode usar vários tipos de sistema para documentar os dados do caixa. Isso pode ser feito de forma analógica ou digital. De toda forma, invista em um sistema que minimize a possibilidade de erros e que seja fácil de acessar quando necessário — fará toda a diferença.

Mantenha as informações organizadas

Não adianta apenas jogar os dados de qualquer jeito nos registros. As informações precisam estar separadas, identificadas e categorizadas para que seja realmente possível analisar o que entrou e saiu, e o que pode ser mudado ou melhorado.

Sempre atualize os dados

Não tem como analisar algo que está ultrapassado, não é mesmo? Por isso, garanta que os dados estejam sempre atualizados e de acordo com os valores reais. O indicado é que a cada 6 meses eles sejam checados por causa de possíveis reajustes. 

Tenha uma visão realista das contas

Esse é um fator muito importante. Como diz o famoso ditado, “não conte com os ovos que ainda estão dentro da galinha”. Claro, fazer projeções é uma boa ideia para ver o futuro da empresa, mas tenha sempre os pés no chão para não colocar o futuro da empresa em risco.

Como fazer um Fluxo de Caixa?

Um fluxo de caixa pode ser feito de formas diferentes, vai depender do que sua empresa se adapta melhor. Você pode usar uma planilha, programa específico ou até mesmo papel e caneta. 

Dentre essas opções, a mais indicada é a versão digital do fluxo de caixa, como uma planilha. É a melhor maneira por ser de fácil acesso para toda a equipe, permitir trabalho em conjunto e oferecer facilidade na hora de analisar dados mais antigos.

Escolheu sua ferramenta? Ótimo! Acompanhe o passo a passo para começar o fluxo de caixa da sua empresa com o pé direito.

  • Estabeleça uma forma de analisar os ganhos e as despesas – Veja como faz sentido para a empresa documentar e analisar o que acontece com as finanças. Isso será feito todos os dias, toda quinzena ou mensalmente? Escolha como esses dados serão armazenados e com que frequência serão analisados; 
  • Estabeleça as categorias – É importante separar cada gasto e custo de acordo com a categoria. Vendas, compras, pagamento de funcionários, empréstimos, custos com espaço, etc. Com tudo categorizado, é mais fácil identificar o que é mais importante;
  • Defina as despesas fixas e esporádicas – Existem aquelas contas que chegam todo mês, como aluguel de espaço, conta de energia elétrica e água – e também existem outras, como manutenção, lâmpadas, que nem sempre aparecem. Divida essas despesas!  
  • Elabore periodicamente as movimentações financeiras – Além de contabilizar as entradas e saídas de dinheiro do mês atual, é importante colocar também as previsões para os próximos meses. Assim, poderá se preparar financeiramente para qualquer situação;
  • Cadastre as contas a receber – Não deixe de registrar tudo aquilo que a empresa ainda vai receber. Seja em pagamentos parcelados de clientes, empréstimos ou investimentos. 

Exemplo de Fluxo de Caixa

Manter um fluxo de caixa pode parecer difícil de primeira, mas com a ferramenta certa você pode começar desde já a organizar melhor as finanças da sua empresa. 

Quando o assunto é a vida financeira do seu empreendimento, vamos combinar que todo cuidado é pouco, não é mesmo? Por isso é importante guardar esses arquivos em um local seguro, de preferência no sistema da própria empresa. 

Ter uma planilha específica para o fluxo de caixa é o ideal. Não se esqueça, também, de guardar os mais antigos para quando precisar analisar dados anteriores. Anotado? 

Modelo grátis de planilha no Excel

Pensando sempre em como te ajudar a ter uma vida financeira mais saudável, preparamos uma planilha de fluxo de caixa exclusiva. Nela, você vai colocar todas as informações financeiras da empresa para controle. 

Lembrando que você pode alterar a planilha da forma que desejar, para que ela se encaixe melhor no seu negócio. 

Clique no botão para baixar e conte conosco. Afinidade é te oferecer as ferramentas certas!

Planilha de Fluxo de Caixa Afinz