Segundo pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o número de inadimplentes no Brasil atingiu a maior marca desde 2010. Em fevereiro de 2022,  27% das famílias brasileiras não conseguem cumprir suas obrigações financeiras. O endividamento é ainda maior, atingindo 76% dos lares no mesmo período.

Outro relatório, desta vez conduzido pela Boa Vista SPC, revela que 79% dos brasileiros não entendem a diferença entre endividamento e inadimplência.

Cerca de 50% dos entrevistados acreditam que estar endividado é o mesmo que ter contas em atraso. Outros 30% acreditam que estar endividado significa estar negativado, isto é, ter seu nome apontado em órgãos de proteção ao crédito como o Boa Vista SPC ou a Serasa Experian.

Apenas 20% dos consumidores entrevistados deram a resposta correta: endividamento é o mesmo que ter dívidas (como empréstimos, financiamentos ou compras parceladas) a pagar. Quem deixa de pagar suas dívidas em dia, entra na inadimplência.

Para acabar com as dúvidas, neste artigo explicamos como você pode evitar cair na inadimplência e fugir das dívidas. Continue a leitura!

O que é inadimplência?

Inadimplência é o mesmo que ter contas vencidas ou atrasadas. Está inadimplente quem deixa de pagar suas contas em dia. Esse descumprimento pode ser pontual ou recorrente, podendo prejudicar seu perfil de crédito.

Uma visão distorcida que algumas pessoas têm é que estar inadimplente é o mesmo que estar negativado. Ainda que estar inadimplente seja uma condição para ser negativado, a negativação leva algum tempo para ocorrer. Nesse período, o credor (banco ou financeira) notificará o cliente e informará um novo prazo para pagamento.

Se o cliente deixar de cumprir o novo prazo, aí sim, terá seu nome negativado.

Causas da inadimplência

As causas da inadimplência são diversas, e um mesmo cliente pode ter mais de um motivo para estar inadimplente. Seja por um acidente, gasto não-planejado ou mero descuido, qualquer pessoa está sujeita à inadimplência. A falta de educação financeira está por trás de muitos destes casos.

A maioria das instituições consegue entender que imprevistos acontecem. Entretanto, quando este comportamento se torna frequente, entende-se que o consumidor tem um histórico de inadimplência e mais chances de deixar de pagar suas contas em dia. 

Esse consumidor também tem mais chances de ser negativado. Quando seu nome é negativado, torna-se quase impossível conseguir crédito.

Além disso, muitos inadimplentes apresentam um alto grau de endividamento, de forma que sua renda não permite pagar todas as contas em dia. É um cenário bastante preocupante, e o consumidor deve buscar resolvê-lo com urgência.

Como a inadimplência afeta seu perfil de crédito?

Estar inadimplente é o primeiro passo para ser negativado, resultando em restrições de crédito. Com seu nome apontado em órgãos de proteção ao crédito, seu perfil de crédito é impactado negativamente.

Com isso, torna-se muito difícil fazer negócio com novos credores. Lojas, bancos e financeiras que consultarem o seu CPF ou CNPJ saberão que dívidas você tem em aberto e quão frequentemente você deixa de pagar suas contas em dia.

Estas restrições de crédito protegem não apenas o credor, mas também o devedor. Isto porque o consumidor fica praticamente impossibilitado de fazer novas dívidas, o que prejudicaria ainda mais sua saúde financeira e dificultaria a quitação dos débitos.

Como sair da inadimplência

É importante entrar em contato com a empresa para a qual você deve e informar o ocorrido para que possa renegociar suas condições de pagamento. Bancos estão acostumados a este tipo de situação e sempre oferecem opções de renegociação da sua dívida para acomodar suas novas necessidades (como os feirões “limpa nome”).

Muitas vezes, tomar um empréstimo pode parecer uma opção para quitar todas as dívidas abertas. Assim, você ficaria com apenas uma dívida a pagar, com parcelas adequadas à sua realidade financeira atual.

Mas tome cuidado: além de ser mais difícil conseguir empréstimos com o nome negativado, os juros de empréstimos para negativados costumam ser muito altos. A melhor opção ainda é tentar renegociar suas dívidas direto com o credor.

O mais importante para sair da inadimplência é a educação financeira e o planejamento financeiro. Não faça dívidas que comprometam seu orçamento e não deixe de planejar suas compras de acordo com sua renda. 

Além disso, é bom ter uma quantia de dinheiro reservada para emergências, como gastos imprevistos.

O que é endividamento?

O endividamento nada mais é do que ter dívidas a pagar. Cartão de crédito, empréstimo, crediário, financiamento, etc., são dívidas com as quais você se compromete. Se você tem dívidas, está endividado.

Mas o endividamento não é ruim por si só. Especialmente compras grandes, como um imóvel, são muito difíceis de se fazer à vista. Não há nada de errado em financiar uma casa ou carro se as parcelas cabem no seu orçamento, sem comprometer ou fragilizar sua renda. Com um bom planejamento financeiro, é fácil manter as contas em dia e as dívidas sob controle.

Dívidas fora de controle, isto é, aquelas que ocupam mais da metade da sua renda, podem aumentar as chances de inadimplência, mesmo que você não tenha o hábito de atrasar suas contas. Isso porque você tem menos dinheiro sobrando caso haja imprevistos.

Causas do endividamento

As causas mais comuns do endividamento são uso excessivo de cartão de crédito e compras parceladas que comprometam boa parte da renda do consumidor. Além disso, gastos necessários como a compra de um imóvel, carro ou pagamento de estudos também são causas comuns do endividamento.

De modo geral, é possível dizer que a principal causa do endividamento no Brasil é a incompatibilidade da renda com os gastos. Seja por gastar demais ou receber menos, os altos limites de crédito no Brasil inflam o poder de compra do consumidor e facilitam adquirir novas dívidas quando já se tem suficientes para consumir todo o orçamento.

Como o endividamento afeta seu perfil de crédito?

Ter contas a pagar pode ter um impacto positivo, negativo ou neutro no seu perfil de crédito. As dívidas como a fatura do cartão de crédito, financiamentos e compras parceladas podem ser benéficas para seu score de crédito, quando pagas em dia. Pagando em dia este tipo de conta, os órgãos de proteção ao crédito saberão que você tem bons hábitos financeiros.

Entretanto, quando estas dívidas representam uma grande porcentagem da sua renda informada, por exemplo, mais de 50%, elas podem impactar negativamente o seu score. As empresas entenderão que você tem maior risco de não conseguir pagar todas as contas caso surja algum imprevisto.

Empréstimos, por outro lado, costumam ter implicações negativas no seu score. Pode chamar a atenção dos órgãos de proteção o fato de você estar recorrendo ao empréstimo e não a outras formas de acesso ao crédito.

Como evitar cair no endividamento

A melhor forma de evitar as dívidas é pagar à vista sempre que possível. Evite cultivar o hábito de comprar itens cotidianos no cartão de crédito e reserve-o para o parcelamento de compras pontuais. Além disso, é importante ter um cuidadoso planejamento financeiro para evitar que suas contas a pagar pesem no orçamento.

Através do planejamento financeiro, você pode acompanhar para onde vai o seu dinheiro e entender melhor como economizar para facilitar uma compra ou pagar dívidas em aberto.

Para aprender mais sobre planejamento financeiro e descobrir como fazer o seu, confira nosso post e baixe a planilha de controle de finanças da Afinz.