Muitas vezes, as pessoas pagam impostos e nem sabem para que servem ou como são cobrados. Isso é muito comum quando se trata sobre o que é IOF, inclusive. 

O Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) é cobrado em muitas transações, mas nem sempre é explicado o porquê, e qual a alíquota dele.

Na Afinz, gostamos sempre de deixar tudo bem explicado, para você poder entender exatamente o que paga, seja nas suas compras ou na fatura do seu cartão de crédito. 

Continue lendo para saber mais sobre o que é IOF e como ele é cobrado nas compras com cartão e outras transações. 

O que é IOF?

O IOF é o Imposto sobre Operações Financeiras. Esse é um imposto federal, aplicado sobre as operações financeiras, como compras no cartão de crédito. O governo utiliza as informações de movimentação do IOF para, além de arrecadação, também saber como anda a economia.

Como? Observando a demanda de investimentos, de valores imobiliários e das operações. Quanto maior o número, melhor está a economia. 

A porcentagem do imposto, a famosa alíquota, é definida de acordo com a transação feita. Então o IOF não tem um valor fixo, e sim uma porcentagem proporcional em cada tipo de movimentação. 

Por que o IOF foi criado?

O Imposto sobre Operações Financeiras foi, primeiramente, criado para que o governo pudesse entender e controlar a economia. 

Com a análise dos números, é possível observar como anda a oferta e a demanda de crédito no Brasil, e com esses dados o governo pensa em formas de melhorar os setores econômicos. 

Claro, essa não é a única forma de entender como andam as contas do brasileiro, até porque, o IOF também é cobrado em cima de empréstimos — então muitas movimentações não podem ser levadas como um bom sinal.

Quando o IOF é cobrado?

O IOF é pago por pessoas físicas e jurídicas em cima de todas as operações de crédito, câmbio e seguro.

Compras internacionais, câmbio de moeda estrangeira, operações titulares imobiliárias, empréstimos, financiamentos, cheque especial, investimentos e seguros. 

O imposto é cobrado diretamente na hora da compra ou transação, ou seja, você paga na hora — ou no resgate de investimentos em casos de CDB e Tesouro Direto.

Qual o valor do IOF?

O valor, como dito antes, vai mudar de acordo com a transação que ele é aplicado. Se você está comprando algo no exterior, por exemplo, ele será de 6,38%. Já se fizer um seguro de vida, ele será de 0,38%. 

Veja a lista completa:

  • Compras internacionais com cartão — 6,38%
  • Câmbio de moeda estrangeira — 1,1%
  • Empréstimo ou financiamento — 0,38% a 3%
  • Cheque especial ou rotativo — 0,38% a 3%
  • Investimentos — até 96% sobre o que render, quando resgatado antes do prazo
  • Seguro de vida — 0,38%
  • Seguro de bens — 7,38%

Como calcular o IOF?

O cálculo pode mudar bastante de acordo com o que vai ser gasto. Não é um valor fixo ou fechado, pois vai depender de quanto dinheiro está envolvido na transação. 

Vamos ensinar como calcular os principais casos, lembrando sempre que você deve adaptar o cálculo de acordo com o valor da sua conta. 

IOF para compras internacionais no cartão

Em compras internacionais, o Imposto sobre Operações Financeiras é de 6,38%. Vamos considerar para todos os cálculos o valor base de R$1.000.

R$1.000 + 6,38% = R$1.063,80
Ou seja: o IOF custará R$63,80.

IOF para compra ou venda de moeda estrangeira

Para câmbio, o imposto é menor, custando 1,1%. 

R$1.000 + 1,1% = R$1.011

O IOF custará R$11 nesse caso. 

IOF para cheque especial ou cartão de crédito rotativo

Cheque especial e cartão de crédito rotativo têm taxas que podem ir de 0,38% a 3%. Vamos considerar 3% para o cálculo. 

R$1.000 + 3% = R$1.030

Valor de R$30 destinado ao Imposto sobre Operações Financeiras.

IOF para investimentos

Em investimentos, o valor pode chegar a até 96% sobre os rendimentos quando o valor é resgatado no dia seguinte à aplicação. Caso necessite resgatar antes do vencimento, essa porcentagem abaixa proporcionalmente. Supondo que uma pessoa recebeu R$1.000 como retorno com um IOF de 96%, o cálculo será assim.

R$1.000 x 0,96 = R$960 

Ou seja: no fim das contas, só receberá R$40 de lucro, pois o restante será cobrado como IOF.

Tabela da Alíquota do IOF

Para que você possa visualizar melhor, aqui vai uma tabela com todas as alíquotas do IOF cobradas atualmente.

Compras internacionais com cartão6,38%
Câmbio de moeda estrangeira1,1%
Empréstimo ou financiamento0,38% a 3%
Cheque especial ou rotativo0,38% a 3%
Investimentos0% até 96% sobre os rendimentos
Seguro de vida0,38%
Seguro de bens7,38%

É possível não pagar IOF sobre operações financeiras?

Não, é impossível. Esse é um imposto obrigatório, portanto deve ser pago para se manter em dia com as obrigações fiscais, seja você pessoa física ou jurídica. 

Porém, é possível se organizar para pagar menos na taxa. Veja algumas ideias:

  • Em viagens internacionais, evite usar o cartão de crédito. Prefira contas internacionais ou dinheiro físico; 
  • Quando investir seu dinheiro, prefira retirar somente após a data de vencimento. Assim, a porcentagem de IOF fica menor e você recebe um rendimento maior; 
  • Mantenha suas finanças organizadas para evitar pegar empréstimos ou cair no cheque especial. 

Não sabe como organizar sua vida financeira? Clique aqui para ler o post que a Afinz preparou para te ajudar nessa tarefa e baixe nossa planilha de gastos exclusiva.Confira outras dicas como essas nas nossas redes sociais.