O conceito de startup tem sido muito usado nos últimos anos, pois esse modelo de empresa tem crescido muito. Só em 2021, foram investidos mais de $10 bilhões no setor, de acordo com uma pesquisa do SlingHub.

No entanto, nem todo mundo sabe as particularidades das startups, que são empresas inovadoras que almejam resolver uma dor do mercado ou das pessoas. O nome pode ser traduzido como “empresa emergente”.

 A grande diferença entre uma empresa comum, é que a startup está sempre mais disposta a correr riscos, indo com tudo atrás de um crescimento rápido e astronômico. Continue lendo para saber mais sobre esse modelo de empreendimento!

Que tipo de empresa pode ser considerada uma startup?

Seguindo o conceito de startup, qualquer empresa que oferece algo inovador pode ser considerada uma delas. Não precisa ser exatamente um produto, pode se tratar de uma forma de trabalho, serviço, software… contanto que seja inovador. 

Muitas pessoas acreditam que para ser startup, precisa ter algo tecnológico envolvido, mas não é necessariamente assim, basta ser novo!

Também caracteriza uma startup um modelo de negócios com baixos custos de manutenção. Saiba mais sobre os pontos que definem uma startup.

Quais são as características de uma startup?

Uma startup é pautada na inovação, sim. Porém, algumas outras características também são utilizadas para definir os negócios. 

É importante conhecê-las, tanto para definir o modelo de sua empresa, quanto para conhecer melhor o mercado e as oportunidades que surgem para cada tipo de empreendimento. Veja:

Inovação

O ponto principal de uma startup sempre será a inovação. Sem isso, ela seria uma empresa comum, não é mesmo? Basta que o produto ou serviço seja diferente, não exista ainda no mercado e solucione algum problema, seja no âmbito comum ou corporativo. 

Escalabilidade

Quando se trata de uma startup, a ideia é crescer muito e rapidamente. Ou seja: a empresa deve ter escalabilidade — podendo atingir metas de uma forma mais rápida, com estrutura suficiente para cumprir com as responsabilidades que envolvem o crescimento. 

Flexibilidade

Essa é outra característica essencial. Ser flexível, no contexto de uma startup, significa estar aberto a correr riscos se a possibilidade de crescimento e retorno financeiro que vier deles valer a pena para a empresa. 

O que é bootstrapping?

Algumas startups começam com um bootstrapping: o termo basicamente significa ser auto suficiente, buscando começar o negócio com recursos próprios, sem precisar da ajuda de investidores. Foi como aconteceu com a Microsoft e a Dell, que começaram com o próprio dinheiro e ganharam o primeiro retorno financeiro diretamente de seus clientes.

Claro, não é fácil fazer isso — portanto, os empresários que optam pelo bootstrapping são normalmente muito experientes e possuem um capital próprio avantajado, pois, assim como toda empresa, uma startup está também pode falir. 

Pode demorar mais para se consolidar, mas um lado positivo do bootstrapping é que nenhuma porcentagem da empresa fica na mão de investidores. 

O que é o investidor-anjo para uma startup?

O termo investidor-anjo é muito usado no mundo das startups, e não é por acaso. Esse tipo de investidor caracteriza uma pessoa física que usa capital próprio para investir em um negócio promissor. 

Essa pessoa não se torna um sócio ou um grande nome dentro da empresa, é apenas um investidor, que recebe o que foi combinado como retorno quando o negócio cresce. 

Para quem investe, é um ótimo negócio, pois o retorno costuma ser grande, mas não é preciso dedicar tanto tempo e esforço intelectual em um novo negócio, mesmo quando é oferecida uma mentoria. 

Qual é a diferença entre incubadoras e aceleradoras?

As incubadoras e aceleradoras investem em startups, então, teoricamente, têm a mesma função. Porém, elas aparecem em fases diferentes do crescimento. 

A incubadora investe na startup logo de cara, no estágio inicial de desenvolvimento da empresa, ajudando até na validação do negócio, quando necessário.

Já as aceleradoras entram em um momento em que a startup já está mais consolidada, com validação feita e um modelo de negócio mais avançado, repetitivo e escalável. 

Afinal, como criar uma startup?

Uma startup na maior parte das vezes nasce de um problema. Quando esse problema é identificado, nasce uma solução inovadora, e ela pode ser transformada em startup. 

São muitos passos até o sucesso da empresa, afinal, é um negócio como qualquer outro. Mas, tudo passa por uma validação. 

Pesquise, entenda o mercado, veja se existe algum tipo de concorrência e entenda a real necessidade dos seus possíveis clientes. Esse é o primeiro passo para criar uma startup bem sucedida. 

Tipos de startups

Sabia que não existe só um tipo de startup? Pois é! São vários modelos dentro do termo, e entender cada um deles é uma forma de se organizar para entrar no mercado. Veja mais: 

Scalable startups

Uma “startup escalável”, como diz o nome, é aquela que almeja crescer rapidamente e exponencialmente, e para isso está disposta a correr riscos. É essencial encontrar um investidor que siga o mesmo conceito para obter sucesso. 

Large company startups

Empresas que estão no mercado há muito tempo, precisam de renovação periódica. É o caso das large company startups, que basicamente são grandes negócios que passam por reformulações de tempos em tempos para se manterem relevantes.

Small business startups

Essas empresas são aquelas que não almejam crescer absurdamente. Costumam ser negócios locais, familiares e que movimentam a economia da região onde estão localizadas, sem planos de expansão. 

Buyable startups

Buyable startup é aquela empresa que começa com uma grande ideia, mas que não possui o investimento necessário. Para que a ideia seja colocada em prática, elas são compradas por empresas maiores que podem investir sem receio. 

Lifestyle startups

É o nome dado àquelas empresas que surgem de um gosto pessoal do criador — pense em uma pessoa que gosta de cozinhar, e abre uma startup ligada à gastronomia. A vida se mistura com os negócios para gerar lucro. 

Social startups

Uma social startup é aquela que tem como missão principal ajudar os outros, utilizando os lucros para o bem de um grupo ou instituição, sem querer enriquecer ou visando o engrandecimento pessoal.

Você sabe o que é um startup unicórnio? 

Toda startup começa com uma ideia, que pode dar certo ou errado. Quando dá muito certo, ela pode se tornar uma startup unicórnio. Ah! O título só vale se a empresa não tiver capital na bolsa de valores.

Esse é o nome utilizado para caracterizar aquelas startups que possuem uma avaliação de preço de mercado acima de 1 bilhão de dólares. De acordo com o CBInsights existem mais de 900 no mundo, e algumas brasileiras estão entre elas. 

Se tornar uma startup unicórnio é o objetivo máximo de qualquer empreendedor do ramo. Conte com a Afinz para oferecer as soluções financeiras que você precisa enquanto trilha o caminho do sucesso!